UX, Mais Do Que Wireframes

UX Design | 24th Março 2017

A UX consiste numa série de princípios que podem, e devem, ser aplicados no decorrer do processo de criação. Consiste na compreensão do negócio, assim como nas necessidades do utilizador (acho que vou ter de referir isto com frequência) para se conseguir criar um produto de valor capaz de responder aos dois.

Muito antes de ser criada uma única wireframe, um bom UX designer já deve ter trazido valor para o projeto, e as wireframe são apenas uma maneira de apresentar um exemplo visual do conceito em questão, bem como uma base para os layouts de UI.

Infelizmente, mantém-se a conceção errada de que o UX se limita aos wireframes. Este artigo explora tudo o que o UX oferece, além dos wireframes.

ESTRATÉGIA

Muito antes de analisar qualquer conceito visual, é necessário compreender ou estabelecer a estratégia que irá ser utilizada para criar o produto.

Por exemplo, o que é que a sua empresa faz? Qual será a fonte de rendimento? Quais serão os KPI (Key Performance Indicators) - indicadores chave de performance? Todas estas questões têm ser respondidas, ou pode acabar a desenhar um produto completamente desadequado à cultura ou visão da sua empresa.

Quais são os objetivos do seu projeto? Qual é o objetivo final e respetivos outcomes? Quererá a sua empresa resolver um problema ou ir numa direção completamente nova? Com a resposta a estas perguntas, conseguirá focar as suas ideias na obtenção destes mesmos objetivos.

Estes pontos ajudam-nos a estabelecer a linha de base do que irá ser criado, e evitam que se desperdice tempo.

INVESTIGAÇÃO

O processo de criação do produto certo só começa depois de compreender a essência da sua empresa e o que pretende alcançar.

Provavelmente, a parte mais importante do processo de UX é descobrir quem são, ou quem vão ser, os utilizadores. Porque razão utilizariam o produto da primeira vez, e porque razão continuariam a utilizá-lo no futuro. Esta etapa é uma mistura de ir para a rua e entrevistar possíveis utilizadores, tendo com consideração a análise dos dados demográficos, com a criação de questionários e outros métodos de obtenção de informação.

Assim que os seus utilizadores estejam identificados, e saiba o que procuram num produto, veja o que os seus concorrentes estão a oferecer. O que é que a concorrência está a fazer bem, e que necessidades do utilizador foram identificadas e não estão a ser preenchidas. Talvez alguém da concorrência já tenha terminado um produto, por isso é importante perceber porque é que os utilizadores não sentem as suas necessidades satisfeitas. Investigar a concorrência é também uma ótima maneira de descobrir oportunidades perdidas.

E com toda essa pesquisa, como pode inovar? Descobrir novas tendências e possibilidades é um caminho que requer muita investigação prévia. Por vezes, a razão pela qual nenhum investigador faz pesquisa numa determinada nova tecnologia deve-se ao custo da sua implementação no mercado de massas, embora também possa ser por receio do próprio mercado em investir numa área sobre a qual não tem informação suficiente.

Sem investigação prévia, é muito fácil cometer o erro de criar algo que não tem verdadeiro valor para os utilizadores, e por isso, sem qualquer sucesso. Conheça os seus utilizadores e o mercado, se quer evoluir.

ANÁLISE

Toda a recolha de dados durante as fases de estratégia e investigação é inútil se não os analisar devidamente. Identificar os padrões e a informação importante é o que irá criar um bom produto, em oposição a limitar-se a dizer aos investidores o que querem.

Descobri que na maioria das vezes, a melhor maneira de mostrar o que se deve mudar ao nível da estratégia num negócio, ou na direção do seu produto, é mostrar o feedback e os insights dos verdadeiros utilizadores.

O feedback e as ideias de um grupo pequeno de utilizadores valem mais do que a opinião de mil designers. Os investidores geralmente sentem o mesmo e valorizam essa informação. Um bom designer de UX compreende que esta é a melhor maneira de fazer passar as suas ideias.

business-peolpe-analysis

PLANEAMENTO

Um plano de ação bem elaborado é crucial para o sucesso de um produto: delinear as interações e utilizações do produto que os utilizadores vão experimentar; decidir o nível de complexidade ou de simplicidade que o produto deve ter para melhor servir o utilizador; conceber a estrutura e arquitetura do produto para que seja fácil para os utilizadores navegar nele, bem como em todas as particularidades que quer que apresente. Se o plano for mal concebido, os utilizadores vão perder-se, sem fazer ideia de como chegar ao seu objetivo.

Tão importante como a complexidade da navegação do produto, é a linguagem e o tom utilizados no processo. Ambos são importantes para estabelecer o modo como comunica com o cliente e como ele perceciona o seu produto. Utilizadores mais jovens podem não reagir bem a uma linguagem excessivamente formal, considerando o produto “velho”.

TESTE

Ao invés de depender exclusivamente das melhores práticas e opiniões, designers de UX compreendem a necessidade de receber feedback dos utilizadores relativamente ao que está a ser criado.

Será que os utilizadores estão conscientes do propósito e das possibilidades do produto? Conseguirá o utilizador identificar como são executadas as tarefas mais cruciais sem terem que ler o manual inteiro?

Criar a solução mais intuitiva não se limita sempre a simplificar ou a reduzir o numero de cliques. Por vezes pode ser exatamente o oposto, dependendo do target ou do produto em questão. Sem testes de usabilidade, não há maneira de ter a certeza de qual o melhor caminho a seguir para cada caso em particular.

CONCLUSÃO

As cinco áreas do processo de UX mencionadas neste artigo são onde o UX confere valor ao projeto, em oposição ao modo como os produtos eram desenvolvidos no passado.

Mais do que isso, UX é ainda mais valioso quando é implementado no decorrer do processo de desenvolvimento, e os seus princípios estão presentes em todas as equipas envolvidas.

Por isso, da próxima vez que pedir só wireframes, lembre-se que não está a tirar total partido das possibilidades que o UX pode trazer ao seu produto.


Tenha isto em consideração e os benefícios serão óbvios desde o início. Comece hoje: contacte a nossa equipa.

Voltar